jeudi 5 septembre 2019

Geraldo Bessa Victor - "soneto ao mar africano - sonnet a la mer africaine"



Je vous propose aujourd'hui de lire la traduction d'un poème d'un poète angolais, Geraldo Bessa Victor, né à Luanda en 1917. C'est la traduction que j'ai faite, traduction d'amateur!
Da lusofonia, o poeta, escritor, ensaísta e jornalista angolano Geraldo Bessa Victor nasceu em 1917 em Luanda, e faleceu no ano de 1985, em Lisboa, onde viveu durante a última parte da sua vida.



Soneto ao mar africano 

Ó grande mar, que banhas estas plagas
africanas, em ti ouço recados
dum mundo a outro mundo, nos teus brados
de prantos, risos, orações e pragas!

Na dramática voz das tuas vagas,
escuto os que, nos séculos passados,
choraram nesse canto dos teus fados,
cantaram nesse choro em que te alagas…

Na tua voz eu ouço o branco bravo,
que semeou Portugal nestes recantos
africanos, e ainda o negro escravo

- ao mesmo tempo indómito e servil –
que regou com seu sangue e com seus prantos 

a semente fecunda do Brasil!


Geraldo Bessa Victor

(traduction)
Sonnet à la mer africaine

O grande mer, que baignes ces parages
africaines, en toi j'entends des messages, d'un monde
vers l'autre monde, dans tes cris
de larmes, de rires, de prières, de diableries!

Dans la voix dramatique de tes vagues,
J'écoute ceux, qui au cours des siècles passés,
ont pleuré dans ce lieu de tes destinées,
ont chanté dans ces pleurs où tu t'inondes…

Dans ta voix j'entends le blanc rageur,
qui a semé le Portugal dans ces recoins
Africains, et aussi l'esclave noir

- à la fois indomptable et servile -
qui a arrosé de son sang et de ses larmes
la semence féconde du Brésil!


Geraldo Bessa Victor (image du net)




95ª EDIÇÃO DO POETIZANDO E ENCANTANDO
5ª Imagem- Um casal caminha na areia da praia abraçados 
do blogue da Prof.ª Lourdes Duarte.
"...A partir de uma ou mais imagens que indica a cada semana, desenvolve-se a criatividade escrevendo versos, poesias, pensamentos ou prosas poéticas.
É uma brincadeira sem competição, participa-se com o coração e o amor a poesia…"
Obrigada, querida amiga Lourdes, pelo sempre amável convite! Deixo aqui a minha participação:


Areias macias


Areias macias, mar calmo, tudo ilusão.
As musas calaram a tua voz
e a alegria que nos abria os braços,
foi-se embora, e deixou-nos sós.

Vais partir no navio trazido pelas ondas
deste oceano sem fim e sem dor,
e do sal que já me escorre pelo rosto,
a despedida tem o sabor.

É o peso da saudade de que não gosto
que me aperta a alma,
e que não sei como explicar.
Talvez sintas que é maravilhoso
esquecer o brilho da lua,
viajar e não ficar.

Abraço-me a ti, adivinho que a água é fria,
que não me queres contar.
Se te apetece esquecer este abraço
não são velas que se afastam
é a minha vida, o meu traço.

No areal macio que pisamos,
nas estrelas que não vemos,
já sopram os ventos que levam a minha razão.
Vais partir num navio trazido pelo mar,
são movediças as areias no meu coração.

Angela



16 commentaires:

  1. Minha querida Angela, não conhecia o Soneto ao mar africano, lindo demais! E sua poesia tão bela descrevendo esse caminhar dos amantes apaixonados nessa areia macia. Linda inspiração! Obrigada por ainda participar desta edição com tanta maestria. Seja sempre bem vinda! Abraços

    RépondreSupprimer
  2. Minha amiga querida, linda poesia a sua e a do autor que também não conhecia. Ambas majestosas! parabéns por todo post, você sempre nos surpreende com uma aula de cultura poética. Parabéns! Bjuss

    RépondreSupprimer
  3. Bom dia de serenidade e Amor, querida amiga Angela!
    Gosto tanto do aspecto cultural que poe em cada postagem. Muito linda essa maneira de nos enriquecer.
    A sensacao da areia fofa, macia, e muito gostosa... Um poema tao leve e, embora retrate a dor da saudade do que vira, tem um aconchego bonito em versos ja saudosos antes mesmo da partida.
    Um enlevo para os olhos e 💝, amiga.
    Tenha uma noite feliz e abencoada!
    Bjm carinhoso e fraterno de paz e bem

    RépondreSupprimer
  4. A Angela é que tem uma veia incrível!
    Bfds

    RépondreSupprimer
  5. Olá querida Angela, tudo bem?
    Que linda a sua poesia, muito delicada e tocante!
    Beijos

    RépondreSupprimer
  6. Pique en un enlace de un blog de poesia gracias por compartir tus poemas

    Te envito que pases por el mio si deseas criticar
    Gracias

    http://anna-historias.blogspot.com/

    Besos

    RépondreSupprimer
  7. Mar, navio, saudade... O sentir no versar que poetiza e encanta.

    Te convido para ler: 😎 Escrevendo certo em linhas tortas, cada um sabe de si.
    Um abraço. Tudo de bom.

    RépondreSupprimer
  8. Querida Angela
    Magia e doçura neste seu belíssimo poema versado com amor e magia
    Um encanto a sua leitura poética da imagem. Parabéns querida
    Beijinhos e um feliz domingo

    RépondreSupprimer
  9. Boa noite, Angela
    Parabéns pela doce participação no Poetizando.
    Uma ótima semana para você.
    Um carinhoso abraço de
    Verena.

    RépondreSupprimer
  10. Poema sentido, profundo na saudade, que engole o ser como areia movediça. Uma saudade que vai pelo mar e vem na praia abraçar.
    Um belíssimo trabalho Angela e grato pela partilha do Bessa.
    Inspiração fantástica.
    Abraços e boa semana.
    Bjs amiga.

    RépondreSupprimer
  11. Gostei muito do poema do poeta angolano Geraldo Bessa Victor.
    Uma boa semana.
    Um beijo.

    RépondreSupprimer
  12. Ficou muito bem, Angela.
    Bom fim de férias.
    Beijinho
    ~~~~

    RépondreSupprimer
  13. Boa noite!
    Chegando com mais um convite para o Poetizando e Encantando, essa interação poética que logo estará completando a centésima edição. Haja desafio semanal! O bom de tudo é que espalhamos poesias mundo afora. Ficarei grata com sua participação, mais uma vez, que só engrandece essa BC.
    Deixei um comunicado escrito de vermelho, peço que leia com carinho.
    Abraços, com desejos de paz e felicidade.

    RépondreSupprimer
  14. Boa noite!
    Inicio as palavras do convite do Poetizando e Encantando com um pensamento do Mario Quintana,
    “Se alguém te perguntar o que quiseste dizer com um poema, pergunta-lhe o que Deus quis dizer com este mundo...”
    A poesia é fruto do que vem do nosso coração e da nossa alma poética. Então, não existe poesia bonita ou feia, o que existe é uma criação poética de inspirações nascidas do mais profundo do nosso ser. Nem todos amam poesia, mas também tem a alma poética quem aprecia poesias.
    Vamos para mais um desafio que acabei de postar e ficará em evidência até a próxima quarta feira, para que todos tenham mais tempo para participar e visitar os amigos participantes. Vale a pena!
    Tenha uma noite de paz e um despertar feliz e abençoado.

    RépondreSupprimer

Merci de tout coeur pour vos visites et commentaires!