dimanche 16 septembre 2018

Meu coração é vermelho / Mon coeur est rouge


Diz a Prof. Lourdes no seu blogue POETIZANDO E ENCANTANDO que “....É uma brincadeira sem competição, participa-se com o coração e o amor a poesia...”
Em resposta ao desafio que nos propõe esta semana,  na 53ª Edição, escolhi a
1ª Imagem- uma linda jovem deitada, alegre, feliz, sorrindo rodeada de rosas em sua cama.

Tenho muito gosto em participar ! Vou ver se consigo !
A procura

O sonho procura o amor
Na forma e na cor que melhor lhe convier,
Que seja homem, que seja mulher,
As convicções podem contar-se,
nas pétalas de uma flor!

O amor procura a paixão.
Com laivos rubros de infinito,
Nos versos do desencanto,
Nas promessas de um novo canto,
No vermelho sangue de um grito.

O coração procura a razão
Pelos caminhos da emoção!
Na linhas da palma da mão
No veludo cor de carmim,
Na doce almofada de cetim!

Mas a paixão esconde-se da razão,
Nas dobras de um véu etéreo,
Em rodas vivas de mistério.
E de novo o mundo encanta
Porque será sempre o amor
Que sairá vencedor!


Angela 

C'est aussi avec plaisir que je vous présente aujourd'hui une vidéo de la grande chanteuse brésilienne Fafá de Belém. 

Je trouve que cette chanson que j'aime beaucoup, est un "monument" à une importante partie de l'identité culturelle du Brésil. Fafá de Belém parle de l'Amazonie. Il est écrit que les paroles sont du compositeur et poète brésilien Chico da Silva. J'essaie de traduire le texte, qui a quelques difficultés surtout à cause des mots de dégradé du rouge !
mmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmm
Fafá de Belém - Vermelho (Ao Vivo) 
Publié par voodooinferno Ajoutée le 7 mai 2007

Meu coração é vermelho / mon coeur est rouge
A cor do meu batuque / la couleur de mon batuque
Tem o toque, tem o som da minha voz / a le ton, a le son de ma voix,
Vermelho, vermelhaço / rouge, vermeil
Vermelhusco, vermelhante ….
Vermelhão / vermillon

O velho comunista se aliançou /le vieux communiste s'est allié
Ao rubro do rubor do meu amor / au rouge de la rougeur de mon amour
O brilho do meu canto tem o tom /le brillant de mon chant a le ton
E a expressão da minha cor / et l'expression de ma couleur
Vermelho! / Rouge!

A cor do meu batuque /la couleur de mon batuque
Tem o toque, tem o som da minha voz /a le ton, a le son de ma voix,
Vermelho, vermelhaço /rouge, vermeil
Vermelhusco, vermelhante /….
Vermelhão / vermillon

O velho comunista se aliançou /le vieux communiste s'est allié
Ao rubro do rubor do meu amor /au rouge de la rougeur de mon amour
O brilho do meu canto tem o tom /le brillant de mon chant a le ton
E a expressão da minha cor /et l'explression de ma couleur

Meu coração!/ Mon coeur ! 
Meu coração é vermelho / mon coeur est rouge
Hei! Hei! Hei! / Hei, hei, hei!

De vermelho vive o coração / du rouge vit mon coeur
He Ho! He Ho! /He Ho! He Ho!
Tudo é garantido /Tout est garanti
Após a rosa vermelhar / dès que la rose devient rouge
Tudo é garantido/ Tout est garanti 
Após o sol vermelhecer / dès que le soleil rougit

Vermelhou o curral / l'enclos est devenu rouge
A ideologia do folclore / l'ideologie du folklore
Avermelhou! a rougi
Vermelhou a paixão / a rougi la passion
O fogo de artifício  / le feu d'artifice
Da vitória vermelhou / de la victoire est vermeil.

dimanche 9 septembre 2018

José Luís Tinoco - "O Teu Poema - Ton poeme"



Em resposta ao convite da 52ª Edição do Poetizando e Encantando, fica aqui a minha participação; embarquemos com a querida Prof. Lourdes na nau das palavras poéticas, transpondo,

a  1ª Imagem - Uma paisagem com uma estrada em meio a natureza, como se formasse galhos de uma grande árvore. Uma jovem caminha em frente, escolhendo sua direção. 
Votos de feliz domingo a todos e a todas :)
Falas mansas

Com falas mansas,
o coração aconselha-nos sobre os caminhos a seguir.
Ninguém adivinha o que está por vir !

A incerteza bate-nos à porta.
Mesmo sendo remota,
ela exibe o seu brilho!
Será mesmo por este trilho,
pertença de Madalenas arrependidas?

que nos atraem sinfonias desmedidas,
prendem-nos ilusões perdidas,
mágoas contidas,
tudo nos enriquece,
e a vida acontece!

Assim procuramos mentes airosas,
como essências de rosas,
que nos ajudem a escolher,
no misto de destinos cruzados
que o futuro tem para oferecer !

Então encontraremos amores cobertos de aurora,
vaidades pelo mundo fora,
os sorrisos de uma criança,
que refletem ternura e esperança,
e o coração acalma e descansa !

Angela 

Je vous propose aujourd'hui de suivre les vers de ce poème écrit para  José Luís Tinoco, mis en musique et déjà interprété d'abord par Carlos de Carmo, et depuis par grand nombre de chanteurs portugais.
Ici, par la voix de la chanteuse portugaise Dulce Pontes, j'espère qu'il vous plaira :
 
No Teu Poema - Dulce Pontes 
Publié par Mlle Lisieux Ajoutée le 24 juil. 2011 
NO TEU POEMA... Versos imortais de José Luís Tinoco, já interpretados por Carlos do Carmo, Mafalda Arnauth, a grande Simone de Oliveira e... Sra. D. Dulce Pontes. 
J'espère que ma traduction d'amateur vous aiderá à aimer ce joli poème :

Dans ton poème
il y a un vers en blanc et sans mesure,
un corps qui respire, un ciel ouvert,
une fenêtre qui se penche vers la vie.
Dans ton poème, il y a la douleur silencieuse en arrière-plan,
le pas du courage dans la maison sombre
et un balcon ouvert sur le monde.

Il y a la nuit
le rire et la voix refaite à la lumière du jour,
la fête de Notre Dame de l'Agonie
et la fatigue
du corps qui s'endort sur un lit froid.

Il y a une rivière,
la destinée d'être né faible ou fort,
le risque, la colère et la lutte de celui qui tombe
ou qui résiste,
qui gagne ou qui s'endort avant la mort.

Dans ton poème
il y a le cri et l'écho de la mitraille,
la douleur que je connais par coeur mais ne récite
et les rêves inquiets des recalés.

Dans ton poème
il y a un chant de l'Alentejo,
la rue et la criée d’une vendeuse
et voilier soufflé par le vent.
Il y a une rivière
la destinée d'être né faible ou fort,
le risque, la colère et la lutte de celui qui tombe
ou qui résiste,

qui gagne ou qui s'endort avant la mort.


Il y a une rivière
Le chant des voix à l'unisson, des voix justes
Une chanson de parole unique
Et d'un seul destin à embarquer
Sur le quai d'un nouveau navire des découverte


Dans ton poème
il y a de l'espoir attisé derrière le mur,
il y a encore tout ce qui s’échappe
et un vers en blanc qui attend le futur.



Et voici le texte du poème original:

No teu poema
existe um verso em branco e sem medida,
um corpo que respira, um céu aberto,
janela debruçada para a vida.
No teu poema existe a dor calada lá no fundo,
o passo da coragem em casa escura
e, aberta, uma varanda para o mundo.

Existe a noite,
o riso e a voz refeita à luz do dia,
a festa da Senhora da Agonia
e o cansaço
do corpo que adormece em cama fria.

Existe um rio,
a sina de quem nasce fraco ou forte,
o risco, a raiva e a luta de quem cai
ou que resiste,
que vence ou adormece antes da morte.

No teu poema
existe o grito e o eco da metralha,
a dor que sei de cor mas não recito
e os sonhos inquietos de quem falha.

No teu poema
existe um cantochão alentejano,
a rua e o pregão de uma varina
e um barco assoprado a todo o pano.
Existe um rio
a sina de quem nasce fraco ou forte,
o risco, a raiva e a luta de quem cai
ou que resiste,
que vence ou adormece antes da morte.

Existe um rio
O canto em vozes juntas, vozes certas
Canção de uma só letra
E um só destino a embarcar
No cais da nova nau das descobertas

No teu poema
existe a esperança acesa atrás do muro,
existe tudo o mais que ainda escapa
e um verso em branco à espera de futuro.

José Luís Tinoco


samedi 1 septembre 2018

O amor que esta longe


Vamos brincar com as palavras com a Prof. Lourdes, chegando 
à 51ª EDIÇÃO DO POETIZANDO E ENCANTANDO
Copiei do blogue 
https://filosofandonavidaproflourdes.blogspot.com/ 
a imagem que serve de inspiração à minha poesia do dia 
obrigada querida Prof. Lourdes, pelo amável convite !
1ª Imagem- Uma jovem sentada na varanda, com olhar perdido, inerte em seus pensamentos, aprecia o mar. A imagem é em preto e branco.

O Amor que está longe

Abro a janela do meu olhar
Na profundidade da minha alma,
Encontro o meu sonhar.
Sinto o peso da saudade:
Foste dar a volta ao mundo
Deixaste-me num dilema profundo.

Como amar-te de tão longe ?
Tão ausente o amor,
Não tem cor.
Trago o vestido de jovem por casar.
Onde foi parar o contorno do teu rosto ?
Pergunto às nuvens questiono o ar.

Na dúvida carente culpo o mar.
Lágrimas de mágoa soltam-se de mim,
O oceano é imenso, não tem fim.
Não pensar em ti não consigo,
Quero-te perto, quero-te comigo,
Levaste contigo a luz da felicidade.

Tal Penélope Lusitana,
Cada dia desfaço a trama.
Chamo por ti no tumulto da cidade,
Só me responde o silêncio,
Suave mistério do amor,
No tormento de uma flor.

Angela

Mas as coisas mudam ! Gisela João canta VOLTASTE
Il y a une évolution :

 
Gisela João - Voltaste Publié par Virgilio Barata Ajoutée le 19 sept. 2016 Ao Vivo, no Largo de S. Carlos, inserido no evento Lisboa na Rua

Voltaste, ainda bem que voltaste
As saudades que eu sentia
não podes avaliar
Voltaste, e à minha vida vazia
Voltou aquela alegria
que só tu lhe podes dar

Voltaste, ainda bem que voltaste
Embora saiba que vou
sofrer o que já sofri
Cansei, cansei de chorar sozinha
Antes mentiras contigo
do que verdades sem ti

Voltaste, que coisa mais singular,
Eu quase não sei cantar
se tu não estás a meu lado
Voltaste, já não me queixo não grito
És o verso mais bonito
deste meu fado acabado

Voltaste, ainda bem que voltaste
O passado é passado,
para quê lembrar agora
Voltaste, quero lá saber da vida
Quando dormes a meu lado,
a vida dorme lá fora