samedi 19 juin 2021

Baltasar Lopes da Silva / Osvaldo Alcântara


Baltasar Lopes, image du net


Baltasar Lopes da Silva ( São Nicolau, 23 de abril de 1907 - Lisboa, Portugal, 28 de maio de 1989) foi romancista, contista, poeta, filólogo e ensaísta nascido em Cabo Verde, que escreveu em português e em crioulo cabo-verdiano
com o nome poético de Osvaldo Alcântara.
Encontramos ainda a informação que Baltasar Lopes
"Após a independência do seu país, foi membro do Conselho de Justiça da República de Cabo Verde"

Amor Electro | Mar Salgado [Official Video]
Publié par Amor Electro •16 nov. 2014
Amor Electro | Mar Salgado [Official Video]


Le poète Baltasar Lopes da Silva, fils de Maria José da Conceição Lopes da Silva et de Pedro Lopes da Silva (1870-1933), est né le 23 avril 1907 à Caleijão, sur l'île de São Nicolau, au Cap-Vert et meurt le 28 mai 1989 à Lisbonne
Parti étudier au Portugal, il est licencié en Droit, ainsi qu'en Philologie romane à l'Université de Lisbonne.
​Il est tour à tour professeur, puis recteur au Lycée Gil Eanes, avocat, animateur sportif, chercheur, essayiste, philologue, écrivain..
L'auteur du plus célèbre des romans modernes capverdiens, Chiquinho (1947), écrivait de la poésie sous le pseudonyme d'Osvaldo Alcântara.
Sa production est imposante et diversifiée, touchant aussi bien le roman que la poésie, les essais, les articles de fonds...


MAR

​És estrela e única vida.
Vida que sobe das esquinas ocultas
no mar sem águas, no mar
com águas sem sal que vêm a diluir-se
lá do fundo das distâncias mágicas!

Vida para quê?
Ó distância da vida pouco e pouco escoando-se.
Mistério do caminho cada vez mais certo?
E as auroras que eu via
e nelas me alava para as viagens futuras!

Mas não esta viagem em limite,
de passadas mutiladas.

Mar, tu és o que fica.

Osvaldo Alcântara


La mer ma traduction d'amateur

l'élèment toujours très présent dans la poésie du Cap-Vert, la mer qui guide le destin des habitants des îles


Tu es l'étoile et la seule vie.
La vie qui surgit des encoignures cachées
de la mer sans eau, de la mer
avec des eaux non salées qui viennent en se diluant
dans les profondeurs des distances magiques !

La vie pour quoi faire ?
Oh distance de la vie qui s'éloigne peu à peu.
Mystère du chemin de plus en plus infaillible?
Et les aurores que je voyais
et en elles je trouvais les ailes pour les futurs voyages !

Mais pas ce voyage circonscrit,
d'allures mutilées.

Mer, tu es ce qui reste.


Baltasar Lopes, image du net


19 commentaires:

  1. Grata pela partilha de mais um poeta que não conhecia.
    Abraço, saúde e bom fim de semana

    RépondreSupprimer
  2. A vida do poeta foi cheia
    de versos e vivência.
    Um beijo para você, minha
    amiga e bom fim de semana.

    RépondreSupprimer
  3. Boa tarde. Obrigado por me dar a conhecer esse maravilhoso poeta.

    RépondreSupprimer
  4. Mais um que fico aqui a conhecer.
    Boa semana

    RépondreSupprimer
  5. Não conhecia de todo. Adorei a publicação! :)
    ~~
    Queria ser, muito mais, que um Ser
    ~~
    Beijos, e uma excelente semana.

    RépondreSupprimer
  6. Osvaldo Alcântara num belíssimo poema dedicado ao mar.
    Uma boa semana com muita saúde.
    Um beijo.

    RépondreSupprimer
  7. Preciosa partilha, Angela
    Tenha uma semana abençoada.
    Um carinhoso abraço.
    Verena.

    RépondreSupprimer
  8. Olá, querida amiga Ângela!
    O mar inspira poetas em todo canto do mundo.
    Não conhecia o poeta.
    Tem algo de semelhança no poema com o que vivemos pelo mundo.
    Tenha dias abençoados!
    Beijinhos carinhosos e fraternos de paz e bem

    RépondreSupprimer
  9. AAngela!
    Sempre grata por poder apreciar suas homenagens e con hecimento.
    Muita luz.
    cheirinhos
    Rudy

    RépondreSupprimer
  10. Muito interessante este post.

    Arthur Claro
    http://www.arthur-claro.blogspot.com

    RépondreSupprimer
  11. Um poeta interessante, do qual conheço alguma poesia.
    E que vale e pena ler.
    Continuação de boa semana, amiga Ângela.
    Beijo.

    RépondreSupprimer
  12. Partilha interessante e informativa.
    Abraços fraternos!

    RépondreSupprimer
  13. Baltasar Lopes da Silva (Osvaldo Alcântara),
    um prazer imenso encontrá-lo e voltar a
    ler este belo poema.

    Beijo
    Olinda

    RépondreSupprimer
  14. Agradeço a sua gentil visitinha aos meus blogs, querida Angela
    Tenha uma abençoada tarde de domingo.
    Beijinhos
    Verena.

    RépondreSupprimer
  15. Querida Ângela,
    Adorei conhecer um pouco mais sobre esse poeta, achei a poesia muito linda! Agradeço por compartilhar um pouco da história desse grande escritor e poeta.
    Beijos!

    RépondreSupprimer
  16. Mais um que eu não conhecia
    E graças a essa partilha
    Minha alma se maravilha
    Com a sua poesia.
    E sempre um alegria
    Renovada quando sinto
    Novo poeta e distinto
    Aos conhecimentos meus!
    Encontro um dedo de Deus
    Ao espírito faminto!

    Parabéns pela rica postagem! Abraço fraterno. Laerte.

    RépondreSupprimer
  17. Angela!
    Sempre trazendo grandes ensinamentos e personagens/escritores portugueses que muito nos inspiram.
    cheirinhos
    Rudy
    BLOG ALEGRIA DE VIVER E AMAR O QUE É BOM!

    RépondreSupprimer
  18. Um bom poeta, meio esquecido, mas que merece o seu destaque.
    Obrigado pela partilha.
    Bom fim de semana, amiga Ângela.
    Beijo.

    RépondreSupprimer
  19. Mãe abençoe a todos q estão vendo essa oração mãe passa na frente com seus anjos dando livramento de todo mal obrigada mãe querida 🙏💚💚💚

    RépondreSupprimer

Merci de tout coeur pour vos visites et commentaires!